Wednesday, October 17, 2007

A PRODUÇÃO GRÁFICA SOVIÉTICA (ANOS 20/30)

Um dos momentos de maior transformação na história do design gráfico e, de um modo geral, na história da produção cultural do Século XX desencadeia-se no contexto da revolução bolchevique. Todavia, a produção gráfica soviética das décadas de 20 e 30 permanecia, até há pouco tempo, insuficientemente conhecida para além dos nomes incontornáveis como El Lissitzky e Alexander Rodchenko.

Mesmo uma obra, de inquestionável rigor, como A History of Graphic Design de Philip Meggs, no capítulo “A New Language of Form: Russian Suprematism and Construtivism”, praticamente não refere qualquer outro nome para além dos de Lissitzky e Rodchenko. Extraordinários designers como Vasilii Elkin, Viktor Koretsky, Gustav Klutsis ou Walentina Kulagina permaneciam assim com as suas obras votadas ao silêncio e à invisibilidade.

A internet tem contribuido para ultrapassar esta invisibilidade. Um exemplo é este blog que acabei de descobrir, curiosamente descoberta ocorrida na mesma semana em que no flickr tomava conhecimento com este óptimo arquivo de cartazes soviéticos, de onde retiro as imagens que ilustram este post. São cartazes do final dos anos 20 e início dos anos 30, na sua maioria cartazes de filmes (as excepcções são a segunda, terceira e quarta imagens, respectivamente um cartaz de 1932 de propaganda ao "Plano de Cinco Anos"; um cartaz da exposição de trabalhos de Vladimir Mayakovsiy e, finalmente, um cartaz de promoção da companhia Blue Blouse. Se em relação a alguns há dúvidas relativamente à autoria, já em relação a outros conhecemos os seus autores, por exemplo o último dos cartazes aqui mostrado, de um filme de ficção científica, é uma obra prima de Gustav Klutsis (por vezes também referenciado como "Klucius") nascido em 1895 e falecido em 1944.

A fonte a que eu recorria para ver e pensar a produção gráfica soviética encontra agora boa companhia.







3 comments:

menina limão said...

só estive ausente alguns dias e já perdi a revolução?

a revolução gráfica aqui do reactor. :)

REACTOR said...

Não é "a" revolução, nem sequer um PREC, o actual layout do Reactor é apenas um acidente ou dano colateral ligado à prometida revolução, que aliás não se vai provavelmente limitar a uma "mudança de imagem" mas, também, a uma mudança de morada.

menina limão said...

oh com que então moramos na mesma rua e vivemos a mesma revolução. acho bem. excetuando o facto de eu não prever nova morada.

ARQUIVO

PERFIL

REACTOR é um blogue sobre cultura do design de José Bártolo (CV). Facebook. e-mail: reactor.blog@gmail.com