Friday, January 04, 2008




1.

A misteriosa crítica do e-vai, Vera Chi Lo Sa fez o seu jocoso, porém certeiro, balanço futuro, entre os vários desejos para 2008 encontramos este, que o Reactor subscreve: “Que o Mude (Museu de Design) encontre um espaço expositivo de vez, antes que os tarecos do Capelo ganhem bolor, o que seria uma pena. (Olhe, aqui que ninguém nos vê, a meu conselho, ò Dr.ª Barbara, o melhor é pedir uma ajuda ao Joezinho, porque ele sabe como ninguém arranjar espaços dignos, condignos, essas coisas...)”.


2.



Nas últimas semanas para onde quer que nos viremos temos dado de caras com um “balanço do ano”. Gostamos de listas, não há nada a fazer.

Alice Rawsthorn fez o balanço de um ano de design para o Herald Tribune. Entre os destaques, referência para os “vencedores” iPhone e One Laptop per Child; o projecto de interiores do ano foi para Jaime Hayon pelo design do restaurante La Terraza del Casino em Madrid; a identidade visual do ano para Stefan Sagmeister pelo logo da Casa da Música; o melhor projecto editorial foi o redesign da 032C desenvolvido por Mike Meiré; entre outras referências espaço para o inevitável logo dos Jogos Olímpicos de 2012 e para nomes como Jean Prouvé; André Balazs; Marc Newson; Konstantin Grcic ou o Studio Job.

Apesar do balanço de Rawsthorn ser interessante, sublinhe-se que a mais completa revista do ano, na perspectiva do design, foi feita pelo Core 77. Está lá tudo!

Entre os balanços, destaque ainda, para a boa síntese de 2007 traçada pelo BLDG BLOG e para a súmula das mais significativas inovações científicas de 2007, feita pela Wired.

Balanços, balanços e mais balanços: a blogosfera vai-nos oferecendo bons balanços do ano literário (confesso que o melhor que li em 2007 - “A casa de papel” de Carlos Domíngues e “Os Anéis de Saturno” de W. G. Sebald – foi publicado em 2006 - ); do ano cinematográfico ( que não me pareceu particularmente entusiasmante) e do ano musical (aguardo pelo balanço da Blogothéque para confirmar que num ano em que Radiohead, LCD, Arcade Fire, Beirut e P. J. foram bons mas não melhores do que já haviam sido, o destaque vai para os The National que, na verdade, nunca foram tão bons como em “Boxer”). Balanço feito, contas arrumadas!


3.



As presidenciais americanas já arrancaram e o design não está ausente. O Speak Up analisa o lógotipo da candidatura presidencial de Barak Obama: "a fine line between cliché and clever, and never crossing to the former's dark side".


4.



O trágico obituário de 2007 não pôde infelizmente ser fechado sem que nos víssemos forçados a nele incluir os nomes de Ettore Sottsass e Olímpio Ferreira. No Público de hoje, Jorge Silva Melo dedica a Olímpio um belíssimo texto, citando Tolentino Mendonça lembrou “que não seremos jamais órfãos, sempre seremos herdeiros”.



5.



A mais importante escola de design norte-americana da actualidade, a Rhode Island School of Design, tem um novo presidente, o bem conhecido John Maeda. Será caso para perguntar: MIT meet Rhode Island?


6.



Fez, no passado dia 17 de Dezembro, 10 anos que Jorn Barger “cunhou” o termo “weblog” para descrever o seu jornal em linha. As comemorações de um década de blogs têm acontecido embora discretamente. O Libération pediu a 23 “blogueurs” franceses uma definição do que é um blog e o resultado é interessante.

4 comments:

carla said...

novo filme de michel haneke?
funny games já tem uns anitos!

REACTOR said...

Pois, esta presunção de que, não tendo visto o filme, ela teria de ser novo é lamentável. Obrigado pelo reparo.
Bem, resta-me corrigir o "post" e tratar de ver o filme :)

carla said...

:)

estive a pesquisar um bocadito e afinal ele vai mesmo lançar outro funny games, desta vez, pelo que parece, versão holliwoodesca.
embora ainda não tendo visto esta nova versão, aconselho vivamente o original. muito bom!

carla said...

com y ;)

ARQUIVO

PERFIL

REACTOR é um blogue sobre cultura do design de José Bártolo (CV). Facebook. e-mail: reactor.blog@gmail.com